Retinose

Pigmentar

O termo Retinose Pigmentar descreve um grupo de distrofias retinianas que têm como principais características a degeneração da retina e seus fotorreceptores associada à visualização clínica de depósitos de pigmentos retinianos, conhecidos como ”espículas ósseas”.

 

A retinose pigmentar pode apresentar diversos padrões de aparecimento, desde o aparecimento espontâneo em um determinado indivíduo até uma marcada herança genética. Pode ter desde uma progressão lenta e imperceptível até rápida e devastadora para a visão. Os primeiros sintomas relatados são, em geral, a cegueira noturna parcial e a perda de campo de visão.

 

Ainda sem tratamento efetivo, a retinose pigmentar é uma das doenças com maior interesse científico quanto ao entendimento de seus mecanismos de ação e controle de seu avanço. Entre os principais avanços nesta área, destacamos as terapias gênicas, as células tronco e os “chips”de retina.

 

É importante manter acompanhamento frequente da evolução da doença, assim como tratar possíveis complicadores como a catarata e o edema macular, que frequentemente acometem os indivíduos com esta doença.